Cadastre-se grátis!
Receba informativos diários do MN1 no seu E-mail!

X

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Paulinelly Construções
Comercial Rocha

Notícias
MN1

MN1 Notícias - Alertas, Celebridades, Ciência, Cinema, Curiosidades, Dicas, Entretenimento, Espaço, Esportes, Games, Internet, Moda, Pesquisas, Polêmicas, Religião, Saúde, Segurança na WEB, Tecnologia, Vídeos da WEB e Muito Mais!

Notícias
+ Lidas

19/01/2018 às 16h13

Professora suspeita de colocar alunos em saco de lixo é demitida por justa causa

Do: G1 Ribeirão e Franca

Visto por 147 pessoa(s).

Misael Lima Postado Por:
Misael Lima
www.facebook.com/MisaeLLima01

Câmera da sala de aula flagra professora colocando menino em saco de lixo em Restinga (Foto: Reprodução)

Câmera da sala de aula flagra professora colocando menino em saco de lixo em Restinga (Foto: Reprodução)

Comissão sindicante diz que ficaram comprovadas autoria e materialidade dos supostos castigos. Defesa diz que tentará reverter decisão da Prefeitura na Justiça.


A Prefeitura de Restinga (SP) demitiu a professora suspeita de colocar alunos de 3 e 4 anos em um saco de lixo dentro da sala de aula. A comissão sindicante que investigava o caso concluiu que ficaram comprovadas a autoria e a materialidade dos supostos castigos, que foram gravados por uma câmera de segurança da creche.

O advogado da docente, Denilson Carvalho, afirmou que o processo não seguiu a legislação pertinente e tentará reverter a demissão na Justiça.

Silma Lopes de Oliveira estava afastada do cargo desde outubro do ano passado, quando as primeiras denúncias chegaram à Polícia Civil, que também investiga o caso. Ela foi exonerada por justa causa, sob a alegação de “mau procedimento”.

Em decisão publicada em um jornal de Franca (SP) nesta sexta-feira (19), o prefeito de Restinga, Amarildo Nascimento (PMDB), também determinou que o nome de Silma seja incluído entre as “pessoas proibidas de contratar com o poder público”.

A professora substituta e uma estagiária, suspeitas de participarem dos castigos, continuam afastadas das funções e ainda respondem a procedimento administrativo. Outra estagiária que também é investigada pela polícia já havia pedido demissão no fim do ano passado.

A professora Silma Lopes, suspeita de maus-tratos a alunos de creches em Restinga (Foto: Reprodução)
A professora Silma Lopes, suspeita de maus-tratos a alunos de creches em Restinga (Foto: Reprodução)

Investigação


Em depoimento à polícia, em dezembro do ano passado, Silma negou que tenha colocado as crianças no saco de lixo como forma de castigo ou "método pedagógico", como afirmou o delegado que chefia a investigação, Eduardo Lopes Bonfim.

A professora disse apenas que os vídeos da creche foram editados e que fez isso apenas uma vez, como forma de brincadeira, após a leitura de um livro infantil sobre o assunto. A educadora também negou ter orientado as estagiárias a fazerem o mesmo.

A versão contradiz os relatos das estudantes, que dizem ter sido ameaçadas por Silma, caso contassem a alguém sobre o que ocorria em sala de aula. Segundo o delegado, uma das auxiliares afirmou que tinha medo de ser demitida, porque ajudava a família com o salário que recebia.

Câmera flagra estagiária usando saco de lixo para punir alunos em Restinga (Foto: Reprodução)
Câmera flagra estagiária usando saco de lixo para punir alunos em Restinga (Foto: Reprodução)

O caso


Imagens gravadas pela câmera de segurança da Escola Municipal de Ensino Básico (Emeb) Célia Teixeira Ferracioli, em Restinga, mostram alunos de 3 e 4 anos sendo colocados dentro de um saco de lixo pela professora e pela estagiária.

Em um vídeo gravado no dia 14 de setembro, a estagiária e a professora aparecem colocando um menino dentro de um saco de lixo preto. Uma coloca o garoto em pé, em cima do saco, e o segura pelos braços, enquanto a outra tenta puxar e fechá-lo.

Em outro momento, uma criança deitada em um colchão parece se debater no interior do saco. Em outra cena é possível ver a estagiária com uma raquete e o saco nas mãos, como se quisesse intimidar os alunos.

Ivanilda Assis de Carvalho chora e abraça o filho, supostamente vítima de maus-tratos da professora (Foto: Carlos Trinca/EPTV/Arquivo)
Ivanilda Assis de Carvalho chora e abraça o filho, supostamente vítima de maus-tratos da professora (Foto: Carlos Trinca/EPTV/Arquivo)

Vítima da professora e da estagiária, um menino de 3 anos contou que a educadora agia desta forma toda vez que ele fazia bagunça. Mãe do garoto, Ivanilda Assis de Carvalho disse que o filho se recusa a voltar à creche porque passou a sofrer bullying.

O caso foi levado ao Conselho Tutelar pela mãe de um aluno, em setembro deste ano. Logo depois, outras duas mães também procuraram a entidade e foram orientadas a procurar a direção da creche e a fazer boletim de ocorrência.

Entretanto, segundo o delegado, apenas uma das famílias levou a denúncia à Polícia Civil. Os investigadores ainda estão analisando cerca de 80 horas de imagens. Os vídeos que flagraram os “castigos” serão periciados no Instituto de Criminalística.

Creche em Restinga onde supostamente professora colocava alunos em sacos de lixo (Foto: Carlos Trinca/EPTV/Arquivo)
Creche em Restinga onde supostamente professora colocava alunos em sacos de lixo (Foto: Carlos Trinca/EPTV/Arquivo)

voltar

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Ir para o topo