Cadastre-se grátis!
Receba informativos diários do MN1 no seu E-mail!

X

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Restaurante Donna Júlia
Eudes Fonseca
Paulinelly Construções
Comercial Rocha
Eliano Peliculas
Disk Pizzas DMamma
Esporte Net do MN1

Notícias
MN1

MN1 Notícias - Alertas, Celebridades, Ciência, Cinema, Curiosidades, Dicas, Entretenimento, Espaço, Esportes, Games, Internet, Moda, Pesquisas, Polêmicas, Religião, Saúde, Segurança na WEB, Tecnologia, Vídeos da WEB e Muito Mais!

Notícias
+ Lidas

08/02/2017 às 16h24

20 asteroides passarão perto da Terra até o fim desta semana

Do: Veja

Visto por 688 pessoa(s).

Misael Lima Postado Por:
Misael Lima
www.facebook.com/misaellimamn1

Asteroides como os dessa semana são pequenos e passam perto da Terra com frequência, não oferecendo riscos em função do tamanho e distância (iStock/20 asteroides passarão perto da Terra até o fim desta semana)

Asteroides como os dessa semana são pequenos e passam perto da Terra com frequência, não oferecendo riscos em função do tamanho e distância (iStock/20 asteroides passarão perto da Terra até o fim desta semana)

De acordo com relatório da Nasa, vinte asteroides devem passar perto da Terra até este domingo. A informação é do Near Earth Object Program, divisão da agência espacial americana que monitora constantemente Objetos Próximos à Terra (NEOs, na sigla em inglês). A maior parte dos eventos está concentrada nesta terça-feira e quarta-feira – ao todo, são esperados doze asteroides passando próximo de nosso planeta nos dois dias. Segundo os cientistas, apesar de a quantidade parecer alta, o fenômeno é comum e nenhum deles passará próximo de nosso planeta o bastante para ser considerado uma ameaça.

Objetos próximos à Terra

NEOs são corpos celestes como cometas ou asteroides que foram empurrados pela gravidade de planetas próximos e têm uma órbita próxima à Terra. Segundo os critérios da Nasa, considera-se que um objeto é um NEO quando ele passa pelo nosso planeta a uma distância menor que 1,3 unidades astronômicas (cada unidade astronômica equivale a aproximadamente 150 milhões de quilômetros). Para fazer uma comparação, a Lua encontra-se a 384.400 quilômetros da Terra, e a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), a apenas 400 quilômetros – o que significa que mesmo que um objeto seja considerado um NEO, ele está bem longe de nosso planeta e, talvez, jamais entre em contato conosco algum dia.

Por essa razão, eles não são considerados um perigo. Segundo o astrônomo Daniel Mello, do Observatório do Valongo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), os asteroides que passarão por nós durante a semana são considerados pequenos e relativamente comuns.

“Para os objetos maiores, com tamanhos superiores a três quilômetros, a frequência de aproximação com a Terra é extremamente baixa”, afirma. Segundo Mello, os astronômos utilizam uma escala para medir o grau de periculosidade de um NEO de acordo com seu tamanho e distância de aproximação da Terra, conhecida como escala de Torino. Esta escala vai de zero a dez, sendo que o grau zero significa risco nulo de colisão com o nosso planeta e grau dez, o risco máximo. Na lista dos asteróides desta semana, todos apresentam grau zero.

Asteroides da semana

Só nesta terça-feira, nove desses NEOs, classificados como asteroides, passarão perto da Terra – o maior deles, identificado como 2016 YT8, tem um diâmetro que varia entre 220 e 490 metros e deve passar a uma distância de 2,6 milhões de quilômetros.

O que chegará mais perto, no entanto, é o 2017 BM93, que deve se aproximar nesta quarta-feira. Com um diâmetro entre 13 e 28 metros, o corpo celeste ficará a uma distância de 1,3 milhão de quilômetros da superfície do planeta. Apesar da proximidade, asteroides com órbitas semelhantes, identificados pela sigla “Apollo”, são muito comuns – estima-se que cerca de 62% de todos os asteroides conhecidos pertençam a esse tipo e, geralmente, não representam nenhuma ameaça.

Além dos asteroides, um cometa também está previsto para cruzar os céus no sábado. Identificado como 45P/Honda-Mrkos-Pajdusakova, o corpo celeste é o único que apresenta um tamanho que poderia ser considerado um risco potencial, com seus cerca de 1,6 quilômetro de diâmetro. “Mas ele passará bem distante, a 32 vezes a distância Terra-Lua, então podemos ficar tranquilos”, afirma Mello.

A frieza dos cientistas em relação ao tema se dá porque um time internacional de astrônomos costuma vasculhar o céu em busca desses objetos que passam perto de nosso planeta para calcular e prever suas órbitas — e a possibilidade de impacto com a Terra. Programas como o Near Earth Object Program, da Nasa, e o semelhante da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) divulgam relatórios atualizados sobre o assunto, com informações e revisões constantes de especialistas.

No Brasil, um dos lugares que faz o monitoramento desses objetos é o Sonear (sigla para Southern Observatory for Near Earth Asteroids Research), um observatório particular perto de Oliveira, cidade a 120 quilômetros de Belo Horizonte. Composto por um trio de astrônomos amadores mineiros, o observatório já encontrou quatro cometas e 25 NEOs desde que começou a funcionar, em dezembro de 2013.

voltar

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Ir para o topo