Cadastre-se grátis!
Receba informativos diários do MN1 no seu E-mail!

X

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Restaurante Donna Júlia
Eudes Fonseca
Comercial Rocha
Eliano Peliculas
Disk Pizzas DMamma
Esporte Net do MN1

Notícias
MN1

MN1 Notícias - Alertas, Celebridades, Ciência, Cinema, Curiosidades, Dicas, Entretenimento, Espaço, Esportes, Games, Internet, Moda, Pesquisas, Polêmicas, Religião, Saúde, Segurança na WEB, Tecnologia, Vídeos da WEB e Muito Mais!

Notícias
+ Lidas

09/02/2017 às 15h33

Dívida de R$ 4,7 milhões faz empresa desligar lombadas em rodovias estaduais de Pernambuco

Do: G1 PE

Visto por 332 pessoa(s).

Misael Lima Postado Por:
Misael Lima
www.facebook.com/MisaelLima02

ombada eletrônica em Olinda (Foto: Wagner Sarmento/TV Globo)

ombada eletrônica em Olinda (Foto: Wagner Sarmento/TV Globo)

De acordo com a Serttel/Perkons, sediada no Paraná, governo pernambucano não cumpre contrato para manter fiscalização eletrônica desde agosto de 2016.


Em virtude de uma dívida de R$ 4,7 milhões contraída pelo governo do estado, a empresa responsável pela fiscalização eletrônica nas rodovias estaduais que cortam Pernambuco desligou, desde sexta-feira (4), todas as lombadas. A Serttel/Perkons, sediada no Paraná, alega não receber do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE) os valores relativos ao contrato desde agosto de 2016.

Além disso existe a falta de pagamento de R$ 1,8 milhão, desde maio do ano passado, para a manutenção do sistema de semafóros, segundo a empresa. O G1 entrou em contato com o DER-PE e aguarda retorno.

A rede semafórica mantida nas rodovias estaduais corresponde a 128 pontos. Por meio de nota, a Serttel/Perkons explicou que houve diversas tratativas para coinseguir receber o pagamento e quitar a dívida referente à fiscalização eletrônica em Pernambuco.

A empresa aponta que está desde agosto de 2016 sem receber os valores relativos ao contrato da fiscalização eletrônica e desde maio de 2016 do contrato da rede semafórica. "Por ter chegado ao limite da capacidade financeira de manter a operação, não restou a Serttel e a Perkons outra alternativa a não ser a suspensão dos serviços”, justificou a empresa no texto.

As “lombadas” verificam se os motoristas estão respeitando os limites de velocidade estabelecidos nas vias e são ferramentas essenciais na prevenção de acidentes, que anualmente, em todo o país, custam cerca de R$ 2,3 bilhões, segundo a Organização Mundial da Saúde. A dívida, segundo a Serttel/Perkons, chega a R$ 4,7 milhões do contrato de fiscalização eletrônica e R$ 1,8 milhões do contrato da rede semafórica.

voltar

  • Google+
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Skype
  • Whatsapp
Ir para o topo